21.12.13

Além de roubar informações de usuários, a rede de bots também infectou bancos, agências governamentais e empresas em mais de 200 países

Fonte: vu

A Panda Security e a Defence Intelligence do Canadá, forneceram ao FBI e às autoridades internacionais as informações chaves, que colaboraram com a prisão do hacker apontado como “Iserdo”, de 23 anos, e confirmado como o autor do kit de “botnet” denominado Butterfly. Botnets são grupos de computadores zumbis que tem o objetivo de provocar ataques em alta escala. Com a colaboração das duas empresas, num grupo de investigação denominado Grupo de Trabalho Mariposa, o criminoso Iserdo foi identificado através análises do software encontrado na rede de bots (zumbis) Mariposa, que comprometeu milhões de computadores em todo o .mundo. Iserdo foi preso na semana passada, em Maribor na Eslovênia e, atualmente está em liberdade sob fiança

A rede Mariposa, assim como outras redes de bots destinadas ao roubo de informação, são criadas a partir de pacotes maliciosos de software como o Kit Butterfly.  Este kit foi vendido pela Internet por um valor aproximado entre €500 a €1500 (R$ 1200 - R$ 3600), e com isso permitiu que cybercriminosos com pouco conhecimento de informática cometessem crimes de escala mundial. O Kit Butterfly foi usado para criar cerca de 10.000 exemplares de malware e 700 redes de bots. Entre as vítimas estão centenas de instituições financeiras, órgãos governamentais, além de milhões de empresas privadas e usuários domésticos.

"Nos últimos dois anos, o software usado para criar a rede de bots Mariposa foi vendido a seiscentos delinquentes e se tornou um dos mais famosos do mundo", disse o diretor do FBI, Robert S. Mueller, III. "Estas invasões, roubos e fraudes não discutem somente a confiança na Internet e os negócios que dependem dela, mas também ameaçam a privacidade e o bolso de todos os usuários".

"Nós estávamos acompanhando o Kit Butterfly durante dois anos e o mais emocionante é que esta é a primeira vez que conseguimos capturar o autor da Botnet. Normalmente pegamos apenas os operadores de botnets", disse Christopher Davis, CEO da Defence Intelligence.

A Defence Intelligente espera que essas prisões sirvam como um aviso. “Nós precisamos ir atrás de todos eles – das pessoas que escrevem o código, das pessoas que vendem eles, das pessoas que distribuem, e até dos “laranjas”, que convertem cartões de crédito roubado e dados bancários em dinheiro efetivo”, continua Davis.

“Nós estamos extremamente orgulhosos de fazer parte da luta para combater criminosos como o Iserdo, mas sabemos que este é um dos milhares de criminosos que ainda estão soltos causando muitos danos, e há muito trabalho a ser feito”, declara Juan Santana, CEO da Panda Security.“A Panda Security acredita firmemente que a luta contra a criminalidade na internet exige um esforço internacional, das indústrias de segurança de computadores e instituições públicas”.


De acordo com Jeffrey Troy, Diretor Adjunto para a Divisão do FBI, “Ao contrário de prender a pessoa que invadiu sua casa, prendemos aquela que forneceu o pé-de-cabra, o mapa e a dica das melhores casas do bairro. Isso é uma enorme quebra na investigação de crimes cibernéticos”, esclarece o diretor.



Home  |  Contato
Parcerias International: All-About-Security | KoSiB eG | Forum Security | Network Computing | NGG e.V. | OGuedes | Steinbeis

© Fórum de Segurança o Brasil 2017